Expectativa x Realidade: Me apresento diferente do que sou?

Expectativa x Realidade: Por que me apresento de maneira diferente do que sou?

Desde pequenos, meninos ou meninas, aprendemos sobre como devemos nos portar em diferentes ambientes sociais e nos acostumamos com um mundo cheio de regras: o que é certo ou errado, o que é feio ou bonito, o que podemos ou não fazer.

O menino aprende que deve pedir desculpas ao falar um palavrão, a menina que não deve sentar com as pernas abertas e ambos que não devem cutucar o nariz e que devem agradecer quando ganham um presente.

Aos poucos, acabamos por formar um ‘manual de conduta’.

Escondendo o EU verdadeiro: Universo virtual x Universo real

Nem sempre somos educados de uma maneira correta e eficiente.

Muitos de nós já ouvimos

“se você for bonzinho, ganha aquele carrinho que quer”.

O brinquedo deixa de ser um presente almejado e passa a ser uma recompensa por bom comportamento, uma aprovação, uma prova de amor ao filho educado, comportado, etc.

“Que menina mais feia!”

pode ser a frase automática da mãe, quando a filha bate na amiguinha, querendo dizer que ela não está sendo uma boa garota.

Ou seja, se formos bonzinhos seremos recompensados, se não formos….

No entanto somos seres humanos e passíveis de sentirmos ciúme, inveja, raiva, preguiça, etc., sentimentos que a sociedade condena.

Crescemos tentando ocultar (até de nós mesmos) que sentimos inveja da casa nova do amigo, da beleza da irmã ou ciúme do irmão mais novo.  Escondemos esses sentimentos, já que nos colocam numa posição de julgamento, desafeto e solidão.

Ocultamos nosso lado feio, aquele que a sociedade rejeita e não deseja ver.

Expectativa x Realidade: Me apresento diferente do que sou?

 

Expectativa x Realidade: Mostrando o EU social

Hoje, com as redes sociais, podemos extravasar nossa vaidade e a necessidade de sermos aceitos, queridos e valorizados. Nos apresentamos com os aspectos que consideramos mais interessantes e atraentes, facilmente ocultando e “maquiando” o real.

Podemos criar quem queremos ser, uma persona, que pode se mostrar em festas, bem vestida e maquiada, frequentando bons restaurantes ou em viagens que todos gostariam de fazer. Mas isso é somente uma foto em que saímos bem, com a qual podemos impressionar e garantir aprovação.

Lembre-se:  é apenas uma “foto”, o retrato de um momento e, muitas vezes, ou na maioria delas, não representa a realidade do todo em que de fato vivemos.

Constatando as diferenças

Não é raro que uma depressão se instale quando entram processos de comparações:

“Como o outro é inteligente! Que lugares lindos ele conhece! Como é culto e bem informado! Como parece feliz e atraente!”

e por aí vão as “constatações” de que o outro é e tem tudo o que eu não sou e não tenho. Receita da frustração e infelicidade e uma perigosa opção de se esconder, travar e não batalhar pelos próprios sonhos! 

O que fazer?

Importante discriminar que a apresentação que assistimos do outro, principalmente no mundo virtual, é a melhor foto que esta pessoa selecionou para lhe representar, baseado no seu manual pessoal. É muito importante não ficar escravo de um mundo virtual, onde muita coisa que parece perfeita é só faz-de-conta.

Mas o importante é não se tornar escravo de um universo paralelo, de uma rede-social-mundo-perfeito.

Apesar de tudo, a vida lá fora ainda pode ser muito prazerosa se nos dedicarmos a construir as melhores experiências em carne e osso.

Viver o mundo real pode ter muitos dissabores, mas pode ser também muito prazeroso. Nos aceitar como somos e assim nos mostrarmos, com nossas qualidades e defeitos pode ser uma maneira muito mais eficiente de obter aprovação e aceitação verdadeiras de quem realmente nos interessa.

Expectativa x Realidade: Me apresento diferente do que sou?

 

Veja também a entrevista de Leandro Karnal, que tratam deste tema de maneira ampla e clara, em: Universo virtual x Universo real: Entrevista com Leandro Karnal e ainda o artigo completo A beleza que escraviza e ainda, O meu marido é narcisista?

email

You may also like