Sintomas da Culpa e suas mil e uma faces psicoafins

Sintomas da culpa e suas mil e uma faces!

A culpa é um sentimento normal e esperado, decorrente de um comportamento ou ação que, após avaliação, a pessoa vê como reprovável ou condenável.

Sintomas da Culpa

Ela costuma aparecer como uma sensação de dívida a alguém ou alguma situação quando o código moral do indivíduo é quebrado ou não cumprido.

Costuma vir acompanhada de arrependimento, geralmente, proporcional ao dano ocasionado. É também um sentimento muito dolorido, já que muitas vezes o indivíduo que causou o sofrimento não tem condições ou tempo para solucionar ou reparar o mal causado.

 

O culpado

O culpado, em um primeiro momento, pode arrumar desculpas ou justificativas para aliviar seu sentimento ou pode até acusar a pessoa prejudicada ou outras, em uma ação reativa para diminuir esse sentimento tão intenso e insuportável.

culpado-2

 

Auto-acusação

Quando a culpa está vinculada a uma Psicodinâmica Interna de auto-acusação, o indivíduo pode se sentir culpado de forma desproporcional à agressão ou à omissão cometida, talvez devido a uma educação que priorizou a punição e uma noção muito exacerbada de certo e errado.

 

Remorso

Um sentimento extremamente comum que acompanha a culpa é o remorso, um misto de grande arrependimento e náusea ao ato cometido.

Juntos, culpa e remorso, podem assombrar a vida do indivíduo e minar sua energia, tornando-o emocionalmente desequilibrado, com baixa autoestima, retido no passado e com prejuízos em seus projetos de vida.

 

Autopunição 

Quando, ao contrário, o indivíduo não identifica os erros, poderá cair numa autopunição, sentimento este de raiva e frustração dirigido a si mesmo, que emerge de pensar que os sentimentos de culpa não foram suficientemente punitivos.

Muitas vezes faz uma avaliação negativa de si mesmo, depreciando seu caráter e inteligência ao invés de avaliar a situação e comportamento que o levaram ao problema.

culpa-1

 

Reconhecendo o erro

As emoções são acionadas de maneira inconsciente no nosso cérebro. Elas ajudam, informam, direcionam e sugerem, fato que reforça a necessidade e utilidade de aprender a gerenciar as emoções.

Reconhecer o erro é sempre benéfico, pois a partir daí se encontra o equilíbrio emocional.

Algumas pessoas têm um discurso típico para não se sentirem culpadas, repetindo:

“Não estou nem aí para o que os outros pensam, julgam etc.”.

De maneira geral, a ação é inconsequente e muito típica nas dinâmicas psicopáticas.

 

Psicopatas x Culpa 

Os psicopatas não sentem culpa, pois não conseguem se colocar no lugar dos outros, não entram em contato com a emoção.

Algumas pessoas com traços psicopáticos até dizem sentir culpa, chegam a se justificar num discurso bonito, mas na verdade não a sentem internamente.

Usam um recurso mental para se fazer de vítima e muitas vezes acabam deixando quem o ouve confuso. Mas é só cenário.

Dentro do setting terapêutico, quando questionado, observamos que fica só no discurso, não tem emoção alguma, não assume a responsabilidade, caindo em um discurso vazio.

 

Veja em nossas dicas de livros: CULPAFerdinand Von Schirach, mesmo autor de Crimes.

Um leitura descompromissada!

Sintomas da Culpa e suas mil e uma faces psicoafins

 

Leia também em nosso Blog sobre Inveja, O mal secreto e Ciúme, descubra se você é um ciumento patológico e Narcisismo, será que meu marido é narcisista?

email

You may also like