Transtorno obsessivo compulsivo, o TOC

Transtorno Obsessivo Compulsivo, o TOC

Sim, todos nós temos manias!

Mas se você tem o hábito de guardar suas roupas no armário classificando-as por cor e, num determinado dia, as coloca fora da ordem habitual e isso não sai da sua cabeça – acha que a qualquer momento algo de muito ruim vai acontecer devido ao fato de não ter colocado na ordem –, então é hora de se perguntar se a sua mania não é TOC.

TOC é sigla de Transtorno Obsessivo Compulsivo um distúrbio de ansiedade caracterizado por pensamentos, imagens ou impulsos recorrentes que provocam ansiedade e obrigam a pessoa a praticar ações repetitivas, ritualísticas, sejam elas mentais ou ações de fato.

Estima-se que 80% das pessoas que sofrem de TOC têm sintomas de obsessão e compulsão, sendo que as demais apresentam obsessão ou compulsão.

Acomete igualmente homens e mulheres de qualquer idade, mas é na adolescência que a incidência é maior.

No início, o TOC pode ser visto só como uma mania ou como um comportamento excêntrico, mas na realidade é um distúrbio que provoca intenso sofrimento, podendo comprometer muito a vida do indivíduo seja no campo afetivo, social, escolar ou profissional.

O que são obsessões e compulsões

 

Transtorno obsessivo compulsivo, o TOC

 

Obsessões:

São pensamentos, imagens ou impulsos não desejados, que invadem a mente do indivíduo.

São percebidos como infundados e desproporcionais, mas a pessoa não consegue controlá-los, sendo constantemente perturbada por pensamentos aflitivos de contaminação, perda de controle de seus impulsos ou dúvidas quanto à orientação sexual, etc.

As obsessões do TOC ativam emoções muito desagradáveis e intensas como nojo, culpa e medo. Isso gera intensa ansiedade e a necessidade de fazer alguma coisa para acabar com o desconforto.

Compulsões:

Também conhecidas como rituais, as compulsões são ações mentais (ex.: contar três vezes até mil antes de sair de casa) ou comportamentais (ex.: verificar dezenas de vezes se a porta está trancada antes de dormir) que têm como objetivo neutralizar os pensamentos obsessivos, causando um alívio temporário ao sofrimento emocional que tais pensamentos acarretam.

Os rituais tomam muito tempo e acabam prejudicando muito a vida do doente, limitando ou até impedindo áreas importantes de sua vida.

Se uma pessoa conta três vezes até mil toda vez que vai sair de casa, acaba ficando incapacitada de ter uma vida normal.

Quando um pensamento repetitivo, hábito ou mania pode ser classificado como Transtorno obsessivo compulsivo?

 

Transtorno obsessivo compulsivo, o TOC

Nem todo pensamento repetitivo ou ritual pode ser considerado TOC.

Lembra da musiquinha chata que não saía da sua cabeça? Pois é, de repente você se dá conta que nunca mais pensou nela.

E a mania de alinhar os quadros quando estão fora de lugar? Se quadros tortos representarem só um incômodo, se ficar tudo bem se não arrumá-los e se você não achar que sua mãe vai morrer se não alinhá-los, não é TOC.

Resumindo, se uma ‘mania’ ocupa parte considerável do seu dia, é persistente e repetitiva, compromete suas atividades cotidianas, provoca intenso sofrimento emocional e você acha que não conseguiria deixar de realizá-la, pois algo muito ruim poderia acontecer, é hora de buscar a opinião de um profissional.

Modalidades de TOC

 

Transtorno obsessivo compulsivo, o Toc

 

As principais modalidades de TOC são:

• TOC de verificação

Se manifesta como uma obsessão de dúvida, seguida da necessidade de verificar se a porta foi fechada, o forno elétrico desligado ou se não há algo ou alguém embaixo da cama.

A pessoa não se limita a conferir uma vez, tendo que repetir a ação inúmeras vezes como forma de prevenir uma desgraça ou acidente;

• TOC por medo de contaminação

É caracterizado pelo medo de contágio ou contaminação.

A pessoa vive atormentada pela preocupação de que ela ou um familiar possa ficar doente devido ao contato com germes, sangue, ferimentos, urina, fezes, suor, etc.

O contato com substâncias temidas (ou simplesmente o pensamento sobre elas) é seguido de rituais que neutralizem a contaminação, tais como, banhos, lavagem repetida das mãos ou das roupas, etc.

• TOC por ordem e simetria

É a exacerbação da necessidade de organização.

Livros, quadros, roupas, toalhas, devem estar perfeitamente alinhados e arrumados segundo uma lógica precisa, ou seja, por tamanho, cor, modelo, etc.

A modificação na ordem e na simetria gera intensa ansiedade e uma necessidade urgente de reorganização.

• TOC por limpeza

Se manifesta como uma obsessão com sujeira ou germes, seguida pela necessidade de limpeza.

Muitas vezes, a pessoa acredita que por mais que limpe o ambiente, sempre haverá resquícios de sujeira, reiniciando o processo de limpeza, podendo gastar grande parte do dia nesse ritual.

• TOC de superstição

Caracterizado por comportamentos supersticiosos excessivos, ou seja, a superstição (que faz parte da cultura) atinge um nível patológico.

Certos elementos, acontecimentos ou ocasiões (cruzar com gato preto, passar debaixo de uma escada, quebrar um espelho, sexta-feira 13, etc.) desencadeiam forte ansiedade, havendo a necessidade de cumprir certos rituais para neutralizar seus efeitos maléficos, como por exemplo, repetir uma oração cinco vezes e bater na madeira cinco vezes depois de cada oração, após ver um gato preto cruzando a rua.

Outras apresentações clínicas do TOC:

• Obsessões de conteúdo violento

Pensamentos de agredir os filhos, atropelar velhinhos, etc.

• Obsessões de conteúdo sexual repugnante/inaceitável

Pensamentos de mostrar os genitais na rua, molestar menores, dúvidas sobre a própria orientação sexual, etc.

• Obsessões de conteúdo blasfemo

Impulso de dizer palavrões durante a missa, pensamentos de fazer sexo com santos, etc.

• Obsessões de contagem

Contar os carros na rua, as janelas de um edifício, etc.

• Compulsões de repetição:

Somar os números das placas de carros, acender e apagar a luz um determinado número de vezes, etc.

Obs.: o acúmulo de objetos, ainda considerado uma modalidade de TOC, está sendo reconhecido como uma síndrome específica, pois pesquisas recentes indicam que apenas 18% dos acumuladores se encaixam em todos os critérios que definem o TOC típico.

Causas do TOC

 

Transtorno obsessivo compulsivo, o Toc

A ciência ainda não conseguiu esclarecer totalmente as causas da doença.

Há evidências de que sua origem se deve a múltiplos fatores: predisposição genética, fatores biológicos, psicológicos e culturais.

Tratamento

A intensidade dos sintomas vai de leve à incapacitante sendo que o TOC tende a se tornar crônico quando não tratado.

O tratamento é feito com medicamentos e psicoterapia.

A psicoterapia é altamente recomendada, uma vez que a pessoa com TOC tende a perceber, avaliar e interpretar a realidade de forma muito negativa e a maximizar a possibilidade de riscos e ameaças e sua própria capacidade de provocar e prevenir eventos negativos.

O processo terapêutico ajuda o doente a se conhecer melhor e a avaliar a realidade de forma mais objetiva.

Lembre-se,
A psicoterapia pode ajudar!

TOC TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO

Leia també, em nosso blog sobre a Síndrome de Burnout, Fobia Social, a dificuldade de se relacionar socialmente e Stress, o vilão ou o mocinho. Além das nossas Pílulas Psicoafins que falamos sobre Otimismo, a qualidade de ver o copo meio cheio, Carisma, você é uma pessoa carismática? e Gratidão, um sentimento a ser cultivado.

email

You may also like